Eventos Culturais

Três construtores na história campista serão homenageados no Corredor Histórico Cultural da Câmara de Vereadores de Campos. Julio Feydit, Alberto Frederico de Moraes Lamego e Alberto Ribeiro Lamego, terão seus bustos inaugurados nesta sexta-feira (04) às 17h30. A cerimônia contará com o lançamento de um livreto com a história dos três e uma palestra no plenário da Câmara.

A palestra com o tema “Imagens dos melhoramentos efetuados em Campos pela Comissão de Saneamento”, faz parte da programação do Centenário dos Melhoramentos de Campos dos Goytacazes inaugurados em 1916 por Nilo Peçanha. Ela será ministrada por Leonardo Vasconcelos, mestre em Planejamento e Gestão de Cidades, pós-graduado em Tecnologia Educacional e Didática Aplicada e graduado em Desenho Industrial e Programação Visual.

Para o presidente do legislativo, vereador Edson Batista, a Câmara cumpri seu papel com base nas linhas de trabalho estabelecidas por sua administração, que são a transparência, participação e resgate histórico cultural.

“Seguimos estes três pilares desde o nosso primeiro dia e encerrando nossa atividade no âmbito cultural, vamos inaugurar estes três bustos de pessoas que se dedicaram a história do nosso município. No Corredor Histórico Cultural da Câmara vamos deixar para as futuras gerações esses bustos que sintetizam toda nossa história e quem faz parte dessa construção ao longo dos anos”, disse Batista.

Julio Feydit nasceu em Campos no dia 26 de julho de 1845, era industrial e nas horas de folga pesquisava dados sobre sua terra. Informações que resultaram no livro “Subsídios para a História dos Campos dos Goytacazes”, lançado em 03 de janeiro de 1900. Como homem público exerceu as funções de Delegado de Polícia, Vereador pela Câmara Municipal de Campos e Prefeito da cidade no período de 1908 a 1910. Faleceu em sua residência no dia 18 de maio de 1922 aos 76 anos.

Alberto Frederico de Morais Lamego nasceu no município de Itaboraí, em 09 de outubro de 1870 e faleceu aos 81 anos em 24 de novembro de 1951. Instalou-se em Campos onde constituiu família e em 1906, partiu para a Europa onde viveu 14 anos. Ao retornar, instalou-se em sua casa, o Solar dos Airizes, na planície Goitacá. Entre suas publicações destacam-se: A Terra Goitacá a luz de documentos inéditos (Paris, 1913), Autobiografia e inéditos de Cláudio Manuel da Costa (Paris, 1919), Verdadeira notícia do aparecimento da milagrosa imagem de N. S. da Conceição que se venera na cidade de Cabo Frio (Paris, 1919), A Academia Brasílica dos Renascidos, sua fundação e trabalhos inéditos (Paris, 1923), Mentiras históricas, Verdadeira notícia da fundação da Matriz de São Salvador e de seus párocos de 1652 a 1925 .

Alberto Ribeiro Lamego nasceu no dia 09 de abril de 1896 em Campos dos Goytacazes e faleceu aos 89 anos, no Rio de Janeiro, em 16 de outubro de 1985, sendo sepultado em Campos. Filho de Alberto Frederico de Moraes Lamego e Joaquina Maria do Couto Ribeiro Lamego. Lameguinho, como era chamado pelos amigos, possui inúmeros trabalhos sobre a geologia com uma produção científica dificilmente atingida por outros autores. Entre 1944 e 1963 publicou "O Homem e o Brejo", "O Homem e a Restinga", "O Homem e a Guanabara" e "O Homem e a Serra". Em 1944, publicou "A Bacia de Campos na Geologia Litorânea do Petróleo", prevendo o potencial petrolífero da área.

*Fonte: Ascom Câmara Campos