Câmara
Carlos Ferreira Peçanha - 1962

Carlos Ferreira Peçanha nasceu no dia 02 de dezembro de 1930,no distrito de Santa Maria em Campos. Filho de Cleveland Peçanha e de Carlota Ferreira Peçanha.Casou-se com Latife Haddad com quem teve três filhos.

É primo de Teotônio de Araújo Filho, que foi deputado da Assembleia Constituinte do Estado do Rio de Janeiro.

Formou-se pela Faculdade de Direito da Universidade Federal Fluminense e em meados de 1950 tornou-se Fiscal de Rendas da Fazenda do Estado do Rio de Janeiro.

Elegeu-se vereador pelo PSP com 720 votos em 03 de outubro de 1962. Assumiu em 1º de fevereiro de 1963 para a legislatura de 1º de fevereiro de 1963 a 31 de janeiro de 1967.

No início do ano de 1966 foi eleito para o cargo de 1º secretário da Mesa Legislativa na gestão de Severino Veloso de Carvalho.

Alcançou apresidência da Câmara em 03 de março 1966, sabendo antecipadamente que assumiria a Prefeitura de Campos, pois o chefe do executivo, João Barcelos Martins havia falecido no dia 11 de abril daquele ano. Rockefeller de Lima assumiu a cadeira de prefeito, já que era o vice, mas como iria se desincompatibilizar para candidatar-se à Câmara Federa, o Presidente da Câmara seria o prefeito.

Segundo o Livro de Ofícios Expedidos da Câmara (01 a 500) de 1966, vol. 1, consta que a partir de março de 1966, Carlos Peçanha assumiu a presidência da Câmara e o ex-presidente, Severino Veloso passou a ser o Vice-presidente até meados de agosto, quando Peçanha saiu para assumir o executivo.

Retornaram Severino Veloso e Obiratan Índio Brasileiro como Presidente e Vice-presidente, respectivamente.

O período de 1967 a 1982 foi uma época de recesso eleitoral para Carlos Ferreira Peçanha, ocupando nesse tempo cargos de confiança, como: Oficial de Gabinete do Secretário de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro; Subdiretor da Fazenda Estadual do Município de São João da Barra e do Distrito de Santo Eduardo; Inspetor Regional da 10ª R.R. da Fazenda Estadual de Campos; Conselheiro da CELF – Centrais Elétricas Fluminense e Vice – Presidente da CERJ.
De agosto de 1966 a janeiro de 1967, foi vice-governador do Estado do Rio de Janeiro, substituindo a Paulo Torres.

No pleito realizado em 15 de novembro de 1970, o ex-prefeito Carlos Ferreira Peçanha perdeu a eleição para a Assembleia Legislativa.Em 1982 elegeu-se deputado federal pelo PMDB, tendo integrado a Comissão de Transporte em 1983.

Em 25 de abril de 1984 votou a favor da emenda Dante de Oliveira que previa eleições direta para Presidente da República. A proposição foi derrotada, pois faltaram 22 votos para que fosse levada à apreciação do Senado.

Saiu da Câmara dos deputados em janeiro de 1987 e não concorre a reeleição.

Em 1989, no governo de Wellington Moreira Franco, ocupou a vice-presidência da Companhia de Eletricidade do Rio de janeiro – CERJ.

Afastado da vida pública, manteve uma discreta atuação no Sindicato dos Fiscais de Renda do estado do Rio de Janeiro.

Declarou o edil Edson Coelho dos Santos: “Falar do senhor Carlos Peçanha, é falar em trabalhos realizados, é falar em trabalhos realizados, é falar em uma vida pública de méritos, amor ao povo campista. Foi vereador, Secretário em dois períodos do legislativo e Presidente da Casa de Leis; Prefeito e Vice – Prefeito de nossa cidade e Deputado Federal”. (Sala de Sessões, 24 de outubro de 1995).

Arquivo da Câmara Municipal de Campos dos Goytacazes.
BELIDO, Vivaldo. Política, Políticos & Eleições. Campos dos Goytacazes: Editora Alvorada, 1988.
____________, V. Politica; Câmara de Deputados brasileiros. Repertório – 1983 – 1987.
FERREIRA, Avelino. Câmara de Campos – 360 anos - 1952 – 2012. Campos dos Goytacazes: Grafimar, 2012.
Entrevista Biográfica; Globo. 26/4/84 e 16/1/85.
Livro de Atas da Câmara Municipal de Campos dos Goytacazes, 1965-1967
Livro de Ofícios Expedidos da Câmara (01 a 500) de 1966, vol. 1.