Geral

A Faculdade de Medicina de Campos (FMC) foi homenageada em sessão solene na Câmara de Vereadores na noite desta terça-feira (10), dentro da programação dos 50 anos da instituição. Presidiu a mesa, o presidente do Legislativo, Marcão Gomes (Rede), ao lado do vereador Neném (PTC), que requereu a realização da solenidade. A mesa ainda foi composta pelo diretor geral da FMC, Edilbert Pellegrini Junior, o vice-diretor Luiz Clóvis Parente Soares, o presidente da Fundação Benedito Pereira Nunes, Márcio Sidney Pessanha de Souza, a representante do Diretório Acadêmico, Damares Albuquerque e a presidente da Sociedade Fluminense de Medicina e Cirurgia, Vanda Terezinha. Também estiveram presentes os vereadores José Carlos (PSDC), Josiane Morumbi (PRP) e Kellinho (PR), além dos ex-vereadores de Campos, Edson Batista e Geraldo Venâncio.

O presidente da Câmara, Marcão Gomes, abriu a sessão destacando a importância da Faculdade de Medicina de Campos, que foi fundada em 14 de outubro de 1967. “A inauguração da Faculdade de Medicina, além de atender os jovens de todo o interior fluminense e até de estados vizinhos, também possibilitou o crescimento do atendimento médico local, uma vez que grande parte dos médicos formados encontra mercado em Campos para o exercício da profissão”, disse.

O diretor geral da FMC, Edilbert Pellegrini Junior, revelou que a instituição já formou 3.813 médicos e 313 farmacêuticos. “A Faculdade de Medicina de Campos agradece a esta Casa pela homenagem. Reitero que esta Casa já teve entre seus membros professores da nossa instituição, cito o doutor Edson Batista e doutor Geraldo Venâncio aqui presentes”, disse, prosseguindo explanando sobre a história da instituição. “O amanhã já começou, os passos para o futuro foram dados no passado e continuam na jornada” concluiu.

O vice-diretor, Luiz Clóvis Parente Soares, relatou que foi formado na FMC. “Sou ex-aluno da quinta turma da Faculdade de Medicina de Campos e sou produto do sonho e do legado de pessoas que fizeram essa história. Somos a força motriz dos municípios Norte e Noroeste Fluminense e contribuímos para seu desenvolvimento”, disse. O presidente da Fundação Benedito Pereira Nunes, Márcio Sidney, destacou a trajetória da faculdade. “Desde sua fundação, em 1967, já formamos quase quatro mil médicos, o que faz dessa escola um dos maiores patrimônios da história da nossa cidade”, afirmou.

A graduanda Damares Albuquerque, que faz parte do Diretório Acadêmico, representou o corpo discente da instituição. “Sou acadêmica do quinto ano e é uma honra estar aqui nesta solenidade, representando meus colegas”, declarou. Já a presidente da Sociedade Fluminense de Medicina e Cirurgia, Vanda Terezinha, falou um pouco da história da entidade que deu início à criação da FMC. “É uma satisfação falar de uma instituição fundada há 96 anos, que teve desde os seus primórdios ações de preservação da saúde”, ressaltou.

O vereador Neném, que solicitou a realização da solenidade, destacou a importância da instituição de ensino no município. “A FMC consegue formar tantos médicos importantes, é uma faculdade diferenciada. Tem um algo a mais com o qual todos vocês nos honram. Parabéns e que venham muitos anos de sucesso”, disse. A vereadora Josiane Morumbi falou da oportunidade de conhecer sobre a história da faculdade. “A FMC teve como foco sempre o desenvolvimento do potencial junto do município. Foi importante saber que a faculdade conseguiu formar tantos médicos, em 45 turmas, todos esses anos. Parabéns a todos vocês”, concluiu.

O vereador José Carlos (PSDC) parabenizou o vereador Neném pela iniciativa e também congratulou os alunos que conseguiram se formar, além de ter destacado a administração da faculdade. “Campos, hoje, se tivesse oportunidade de retroagir a aprender como fazer a coisa correta e direita como a FMC faz em 50 anos, seria uma cidade melhor”, disse.

Geraldo Venâncio, que é professor da faculdade, falou do orgulho em ser parte da instituição. “A FMC tem um simbolismo muito grande, como já foi mencionado, porque ela representa a capacidade de realização da comunidade de Campos. Ela foi criada sem ajuda de Prefeitura e Governo do Estado. Ela é fruto da capacidade de mobilização, especialmente da comunidade médica. Foi criada em momento de muita dificuldade, quando havia poucos médicos na nossa cidade. Hoje, dos médicos atuantes em Campos, mais de 80% são egressos da FMC”, concluiu.

Também professor da instituição, Edson Batista destacou a união como forma de preservar o legado da faculdade. “Nós temos um pedacinho de participação na história desses 50 anos da FMC e me sinto satisfeito e orgulhoso por isso. É preciso união para deixar esse legado para gerações futuras, que daqui a 50 anos poderão comemorar os 100 anos dessa instituição”, afirmou.

Durante a solenidade, o presidente do Legislativo, Marcão Gomes, transmitiu as congratulações do prefeito Rafael Diniz, que justificou ausência por estar em um encontro com representantes do Governo do Estado e a Associação Nacional de Prefeitos, buscando soluções para as dificuldades financeiras e orçamentárias do município.

Ainda na solenidade, a funcionária em exercício mais antiga da FMC, a bibliotecária Maria Cristina Miranda Lima, foi homenageada pelo diretor Edilbert Pellegrini Junior. “É uma honra receber essa homenagem e declarar meu amor a esta instituição onde eu trabalho há 40 anos”, disse a funcionária.

 

*Por Lohaynne Gregório - Ascom Câmara Campos