Sidebar

20
Qua, Nov

 

Geral

Parte importante do acervo histórico do jornal Monitor Campista passará por restauração. É o que prevê o termo de cooperação técnica institucional que será firmado entre a Câmara Municipal de Campos dos Goytacazes e o Arquivo Público Municipal Waldir Pinto de Carvalho. A assinatura será nesta sexta-feira (08), às 17h, no foyer do Palácio Nilo Peçanha, onde também será aberta a exposição da Semana Monitor Campista. A programação faz parte da terceira edição do Festival Doces Palavras.

O acordo visa restaurar e digitalizar os nove primeiros exemplares do Monitor Campista. A primeira impressão do periódico foi em 1834, ainda com o nome de O Campista, e 2009, após 175 anos de história, o jornal encerrou atividades. A Câmara Municipal é a responsável pelo acervo e todo procedimento será realizada pela equipe do Arquivo Público Municipal, que possui o único laboratório de restauração do interior fluminense.

“O Monitor Campista é de uma importância histórica e cultural imensurável, pois guarda a história do nosso município e do nosso país. Esse convênio vai permitir a restauração das primeiras edições, que serão disponibilizadas para pesquisadores de todo o mundo. Dessa forma, a Câmara está cumprindo seu papel na preservação do patrimônio, da história e da cultura campista”, afirmou o presidente da Câmara, Fred Machado (Cidadania).

A diretora do Arquivo Público Municipal, Rafaela Machado, explicou que serão dois restauradores da equipe envolvidos no trabalho, além do profissional para digitalizar o material que será disponibilizado ao público também na internet. “A grande importância desse trabalho é que, finalmente, iremos restaurar parte da memória da imprensa do Brasil. Quando falamos sobre restauração do Monitor Campista, não estamos nos referindo a apenas um jornal, mas à preservação de um dos jornais mais antigos e mais importantes do país. Dessa forma, estaremos colaborando para preservar parte da história da imprensa nacional”, concluiu.

Semana Monitor Campista

Após assinatura do termo, será aberta a exposição realizada pela parceria entre a Câmara Municipal e o Arquivo Público Municipal sobre o Monitor Campista. A mostra conta, em painéis, a história do jornal - da fundação ao fechamento - retratando aspectos históricos de grande importância para o país. Também haverá uma exibição audiovisual demonstrando o processo de restauração que será realizado nos nove primeiros exemplares.

A exposição marca os 10 anos de encerramento das atividades do Monitor Campista, no dia 15 de novembro, e ficará aberta à população de segunda-feira (11), à quinta-feira (14), das 8h às 17h, no foyer da Câmara.

A programação do Festival Doces Palavras na Câmara continua em seguida, às 18h, no plenário, com a Mesa de Debate que terá como tema “Perspectivas futuras para o Monitor Campista”. O evento terá participação do presidente da Associação de Imprensa Campista (AIC), Wellington Cordeiro e do jornalista Vitor Menezes, com mediação do presidente do Instituto Histórico e Geográfico de Campos, Genilson Soares.

*Por Ascom Câmara Campos